Reconstrução após desastre da Samarco esbarra em entraves

241

Quase dois anos depois do rompimento da barragem de Fundão, da Samarco, e um ano da existência da Fundação Renova – criada com recursos das mineradoras Vale e BHP para compensar e reparar os estragos do maior desastre ambiental do país – o balanço da reconstrução tem avanços, alguns atrasos e muita frustração de quem ainda não viu a vida voltar à normalidade. Sinais positivos vêm das obras de engenharia para conter os rejeitos, mas as questões sociais mostram as dificuldades. 

Fonte: Valor Econômico