Gilberto Peralta: “É preciso virar a página das reformas e abrir uma nova página, a do crescimento econômico”

973

O presidente do Conselho de Administração da Abdib, Gilberto Peralta, pediu que as turbulências políticas não atrapalhem a condução das reformas e da agenda econômica necessária para tirar o Brasil da crise. Peralta fez esse pedido ao lado do ministro Dyogo Oliveira (Planejamento) e diante de 350 pessoas, entre agentes públicos e privados, presentes na inauguração do Seminário Financiamento e Garantias para a Infraestrutura, promovido pela Abdib dia 23 de maio em São Paulo.

Peralta disse que, antes de começar a abordar os desafios para financiar a necessidade de investimento em infraestrutura, um tema estrutural, gostaria de tratar de alguns aspectos conjunturais. “Estamos novamente convivendo com turbulências na área política, e isso cria incertezas entre os agentes econômicos, sobretudo quanto à continuidade do núcleo econômico do governo federal, responsável por políticas e ações importantes para o País”, afirmou.

“Nós e todas as autoridades temos que ter em mente a necessidade urgente de manter a continuidade das ações do núcleo econômico do governo federal e finalizar o mais breve possível as reformas em andamento. Temos que terminar essa pauta de reformas e do ajuste das contas públicas para poder começar uma nova agenda – a agenda do crescimento econômico”, indicou o presidente do Conselho de Administração da Abdib.

Ainda na abertura do seminário, peralta lembrou que há mais de 14 milhões de brasileiros desempregados no país e que, por isso, não é permitido que a disputa política pelo poder atrapalhe a gestão econômica responsável pela tentativa de sair da crise. E repetiu: “É preciso virar a página das reformas e abrir uma nova página, a do crescimento econômico”.

Investimentos necessários – Peralta ressaltou que, na dentro da agenda do crescimento econômico, a estruturação de financiamento e a oferta de garantias para os investimentos em infraestrutura é um tema relevante. “Isso porque a necessidade de investimentos em infraestrutura é enorme e nós temos que encontrar os recursos necessários para suportar esses investimentos”, disse.

Ele explicou que o Brasil investiu R$ 106 bilhões em infraestrutura em 2016, o que representou 1,6% do PIB, contra R$ 161 bilhões em 2014. “Mas nós temos o desafio de elevar esse investimento para cerca de 5% do PIB. Isso representará mais de 300 bilhões de reais por ano. Temos que investir esse montante por um longo período, sem interrupções, dada a fragilidade da nossa infraestrutura”, afirmou.