Sem mudança, MP das concessões não resolve obra parada, diz associação

856

Sem mudanças na medida provisória das concessões, o país vai ficar com obras paradas em 5.000 quilômetros de rodovias, prevê o presidente da ABCR (Associação Brasileira das Concessionárias de Rodovias), César Borges. O presidente entidade, que representa as empresas que controlam as rodovias pedagiadas, afirma que a proposta do governo de permitir uma rescisão amigável dos contratos das empresas que assumiram concessões em 2013 não é sustentável.

 

Fonte: Folha de S. Paulo