Conteúdo local gera “racha” no governo

80

De um lado estão Casa Civil, Fazenda e Minas e Energia. Eles têm forte interesse em criar um ambiente atrativo para investidores nos próximos leilões de petróleo e estão de olho no potencial de arrecadação das disputas. De outro lado fica um grupo que reconhece a necessidade de ajustes na política em vigência, mas se diz preocupado com o futuro da cadeia de fornecedores para a indústria do petróleo. Essa corrente é composta pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), pelo BNDES, pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e pela ANP.

 

Fonte: Valor Econômico