Abdib já defendeu “protagonismo federal” com ministros e autoridades

471

Nos últimos dois meses, a Abdib já abordou, com autoridades do governo federal, propostas que sugerem maior participação e protagonismo da União para impulsionar investimentos necessários para a expansão e na modernização da infraestrutura de mobilidade urbana, saneamento básico e resíduos sólidos.

A entidade já promoveu reuniões para explicar tais propostas com autoridades como Dyogo Oliveira (Planejamento), Moreira Franco (Programa de Parcerias de Investimentos – PPI), Eliseu Padilha (Casa Civil) e Bruno Araújo (Cidades), além do Eduardo Guardia (Fazenda) e Maria Silvia Bastos Marques (BNDES).

Diante da competência exclusivamente ou majoritariamente municipal para diversos serviços de infraestrutura essenciais para a população, a União, na ótica da Abdib, pode prover apoio técnico para a formalização de consórcios ou outras formas institucionais que congreguem municípios em torno de objetivos comuns, para a oferta de modelos de contratos e de editais e para a elaboração e modelagem de leilões e licitações, entre outras possibilidades.

“Consideramos essa nova abordagem fundamental porque o Brasil entrará em processo eleitoral municipal e estes municípios não têm condições técnicas e financeiras para oferecer soluções sustentáveis às pessoas”, diz Venilton Tadini, presidente-executivo da Abdib.

As propostas também incentivam os entes federativos a se agruparem em autoridades metropolitanas, consórcios ou outros tipos de entes para, conjuntamente, resolverem os problemas e conferirem mais segurança jurídica para empresas que querem investir em saneamento básico, trens e metrôs, gestão de resíduos sólidos e aterros sanitários e sistemas de resíduos sólidos.