Empresas vêm crédito em dólar como opção

518

Valor financiamento

Para Venilton Tadini, presidente­-executivo da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib), o modelo de atrelar parte da receita tarifária a uma moeda estrangeira dificilmente vingará.

Egresso do mercado financeiro, Tadini enxerga três vias de financiamento alternativo de projetos futuros de concessão de longo prazo. São elas fundos de private equity já presentes no país e que dispõem de recursos à espera de bons projetos para aportar; investimento estrangeiro na forma de emissão de bônus (títulos de dívida de longo prazo emitidos no mercado internacional) ou private equity; e debêntures de infraestrutura, que vão depender da queda dos juros no curto prazo. “O mundo está líquido e o Brasil tem uma gama de projetos importantes para ser financiado. Ninguém financia o projeto com uma única fonte de recursos”, afirma.