Dúvida no abastecimento é de abril de 2017 em diante, diz presidente da Sabesp

934

Até que ponto vale manter as represas em nível abaixo do normal, assumindo algum risco futuro, para aliviar a situação imediata de milhares de pessoas que ficam sem água durante horas todos os dias na Grande São Paulo? Para Jerson Kelman, presidente da Sabesp, a decisão é “difícil” e envolve certo grau de “incerteza”, mas as projeções da estatal paulista avalizam a decisão de relaxar um pouco no racionamento para sacrificar menos a população.

 

Fonte: Folha de S. Paulo