Temos que multiplicar por cinco a malha ferroviária, diz especialista

271
Apesar de suas dimensões territoriais, o Brasil precisa também pensar como um gigante e focar tanto na exportação de produtos com valor agregado além de commodities quanto em um impulso logístico que dê conta disso. Esse, ao contrário das condições que temos hoje, é encarnado na figura das ferrovias. Carente desse tipo de transporte, o País tem hoje cerca de 25 mil quilômetros de linhas férreas. Pouco para um país que almeja ser um ator global de peso no cenário econômico mundial. “Temos que ao menos multiplicar por cinco a nossa atual malha ferroviária. Somos um país continental que merece um destino diferente”, defende o engenheiro José Manoel Ferreira Gonçalves, presidente da ONG FerroFrente (Frente Nacional pela Volta das Ferrovias). “Hoje transportamos por trilhos apenas 50% da soja que exportamos pelo porto de Santos, que ainda é o maior do País”.
 
Fonte: Revista Carta Capital